skip to Main Content

Empresas Aumentam Faturamento com E-Commerce para Youtubers

Empresas Aumentam Faturamento Com E-Commerce Para Youtubers

E-Commerce para Youtubers – Com aumento do números de usuários da internet e das redes sociais, alguns hábitos de consumo mudaram. Muitas pessoas passam mais tempo assistindo vídeos no YouTube ao invés de ver televisão e mesmo quando estão assistindo tv, elas estão conectadas a internet por meio do smarthphone.

O YouTube recebe cerca de  300 horas de vídeos por minuto em sua plataforma. Por mês, são assistidas 6 bilhões de horas. Com isso, muitos blogueiros e youtubers ganharam status de celebridade e a oportunidade de ganhar muito dinheiro na internet.

O cenário promissor para influenciadores online foi o que juntou Patrick Francisco, Leandro Kasan, Lila Beirith, Ricardo Almeida e Virgina Crema na trajetória do empreendedorismo. Os cinco empreendedores são fundadores da Coletive, empresa que presta serviços a profissionais da web, como youtubers e blogueiros.

Francisco e Kasan já tinham experiência como empreendedores por terem fundado, em 2013, a GuitarPlay Online, escola de música na web. A inspiração, inclusive, veio da experiência de ambos com o YouTube. “Montamos um canal para a nossa banda e precisávamos encontrar uma forma de ganhar dinheiro com isso. Começamos a vender DVDs pela internet e depois montamos a escola”, disse Francisco.

E-Commerce para Youtubers

Os empreendedores já conheciam Ricardo Almeida, o editor da Kéfera Buchmann, vlogueira de sucesso com mais de oito milhões de inscritos em seu canal do YouTube. No ano passado, durante uma conversa com Almeida, os sócios decidiram tentar fazer a youtuber monetizar com o seu trabalho. “Foi assim que surgiu a ideia da Coletive, que nasceu em agosto de 2015 com a Kéfera Store, o e-commerce da Kéfera, afirma Francisco.

Kéfera Store, o e-commerce da Kéfera

Os sócios começaram a empresa com um investimento próprio de R$ 100 mil e, até pouco tempo atrás, mantinham um emprego paralelo à Coletive. No começo do ano, Francisco fez um curso sobre empreendedorismo que foi decisivo na gestão de seu negócio. “Foi a fagulha para que eu largasse o meu emprego e começasse a me dedicar a empreender”, diz.

A Coletive oferece diferentes tipos de serviços que ajudam esses influenciadores a monetizar com as ideias que vendem pela internet. Eles se responsabilizam não só pela montagem de uma loja virtual, como também pela criação dos produtos que serão comercializados, controle de estoque, logística e atendimento. Além disso, possuem conhecimento para comercializar produtos virtuais e produzem e editam vídeos.

De tudo que é oferecido, a equipe da Coletive se responsabiliza pela produção de conteúdos e pelo e-commerce. “O resto dos nossos serviços, como fotos e realização de eventos, são feitos por empresas parceiras”, explica Francisco. Os meses de experiência, inclusive, já mostraram aos sócios quais são os serviços nos quais vale mais a pena investir. “Nosso foco agora é produzir vídeos, porque o e-commerce, apesar de gerar muita receita, não tem tanta rentabilidade”.

Durante os meses em que a Coletive está no mercado, conseguiu acumular 15 clientes e pretende dobrar esse número até o fim do ano. Dentre os que usaram os serviços da empresa, estão nomes como Rafael Cortez e a ex-participante do The Voice Kids, Rafa Gomes. Para 2016, a expectativa é que eles cheguem a um faturamento de R$ 1 milhão. “Como queremos focar em produção de conteúdo, também estamos indo atrás de algumas marcas e empresas para quais podemos fazer isso”, afirma Francisco.

A WideCommerce também ganhou este mercado. Na produção do e-commerce da Kéfera, a Coletive fez uma parceria com a empresa focada em desenvolvimento de lojas virtuais. A empresa foi criada em 2013 por Everson Martins, Thais Ceserini e Leonardo Godoi. “Temos o objetivo de atender aquelas pessoas que gostariam de comercializar seus produtos na internet. Oferecemos também todo um trabalho de consultoria tanto na parte tecnológica da plataforma quanto na parte de marketing digital”, explica Godoi.

Dentre 50 clientes, a WideCommerce está com três projetos de lojas virtuais de youtubers no ar. Além da Kéfera, foram eles que criaram o e-commerce da Niina Secrets e do canal Nomegusta, de Gustavo Stockler. “Também estamos desenvolvendo a nova loja virtual do Canal do Ander”, conta Godoi.

Quando se trata de um influenciador da web, o serviço completo da WideCommerce é um pouco diferente. De acordo com Godoi, a empresa é mais focada em marketing de performance, mas os youtubers já possuem mais conhecimento nesse aspecto. “No caso deles, o que fazemos é dar dicas sobre ferramentas e o funcionamento da operação. Falamos sobre, por exemplo, como é para tratar o cliente e como é feito o despacho de produto. É um serviço de consultoria para conseguirem um know how sobre e-commerce, afirma.

Você conhece outrous cases de E-Commerce para Youtubers? compartilhe conosco nos comentários.

Via Pegn

Grupo E-Commerce Brasil

Grupo E-Commerce Brasil. Amplie, aprofunde e compartilhe conhecimentos sobre melhores práticas, recursos, soluções, técnicas E-Commerce.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

RECEBA CONTEÚDOS EXCLUSIVOS

Inscreva seu endereço de email abaixo e receba as últimas notícias do mercado e-commerce, novidades, conteúdos exclusivos e muito mais.

Obrigado. Você se inscreveu com sucesso!

Back To Top